fbpx

nutricionista@laizlauda.com.br

Microscopia de Campo Claro e Escuro

Como é meu atendimento?

Microscopia

Na avaliação de microscopia de campo escuro e campo claro, através da retirada de uma gotinha de sangue, é possível observarmos juntos no consultório, o sangue vivo na lamina levada ao microscópio, avaliando a forma das células e compostos que estão em seu sangue. A quantidade, a forma, e o que é identificado, nos traz dados importantíssimos sobre a causa dos sintomas que vem sentindo, bem como sobre a história de saúde.  Estresse oxidativo, presença de metais pesados, toxinas ambientais como agrotóxicos, pesticidas, solventes, moléculas plásticas, bem como parasitas e seu ciclo de vida justificam inflamações, sintomas inexplicados por outros exames, e o porquê da ineficiência de tratamentos realizados.

Por que faço assim?

Na minha prática clínica a possibilidade da observação qualitativa do sangue, identificação de alterações que em conjunto com os exames de laboratório, bioquímicos quantitativos, trouxe eficiência no tratamento, com resolução de situações de forma mais leve e rápida.

Histórico

A microscopia de campo escuro marcou a evolução cientifica e  diversos cientistas se utilizaram dessa forma de observação do sangue e tecidos  trouxe grande evolução cientifica.

A primeira publicação feita a partir desse tipo de microscopia foi  de Béchamp  no seu livro Terceiro Elemento do Sangue em 1883, que explica a presença parasitaria nas nossas células , que chamou de microzimas, e que sua evolução depende das condições (terreno biológico) podem evoluir para vírus, bactérias,  bem como leveduras e fungos.

O Prof Gunther Enderlein (1872-1968) nos trouxe grandes descobertas a partir da observação de glóbulos vermelhos e brancos, tecidos, linfa e sangue e a presença de substâncias e parasitas. Enderlein  descobriu  que em cada célula existe a presença de certo tipo de microorganismo, o endobionte e descreveu o ciclo de vida dele.  Na avaliação feita na consulta, observamos juntos a fase do ciclo que o microorganismo ou endobionte encontra-se, justificando-se causa de diversas doenças.

Segundo Enderlein “A doença é o desenvolvimento ascendente do endobionte para formas parasitárias de valência superior, com o seu próprio metabolismo que envenena o metabolismo do hospedeiro. As variações nas quantidades e na morfologia das células sanguíneas e endobionticas refletem alterações de um estado normal de saúde, fornecendo indicações sobre origem e causa de problemas de saúde.”

Portanto, a microscopia é utilizada há séculos para entender o terreno biológico e a sua relação com a saúde, pois dele depende o crescimento e desenvolvimento de microorganismos e as doenças por eles causadas.

O terreno biológico

Pense na terra que você planta seu alimento. Se ela é arada, tem nutrientes e água, traz alimentos mais ricos em nutrientes, bonitos e saudáveis, certo?

No seu corpo não é diferente! Se suas células não conseguem combater o dano feito pelos tóxicos que você respira, não tem oxigênio para diminuir a proliferação de fungo, e não tem vitaminas antioxidantes para contrabalancear o envelhecimento, doenças estão facilmente sendo instaladas no seu corpo!

Isso é terreno biológico: o substrato que suas células tem para viver!

A microscopia identifica, de forma visual como esta o terreno biológico e a partir disso, podemos corrigir desequilíbrios e reestabelecer saúde.

A limpeza do terreno biológico traz de volta células saudáveis que recebem facilmente oxigênio, através de um sangue que circula facilmente, vitaminas, minerais, aminoácidos necessários para regeneração e reparação das células que foram estressadas ou oxidadas.

Na minha experiência clinica, a identificação de intoxicações  e parasitoses já desvendaram enxaquecas sem causa, dificuldade de emagrecimento, dermatites sem resolução entre outras complicações de saúde.

Como está o seu sangue? Essa resposta pode te explicar o que esta sentindo e não entende!